EXTINTORES DE INCÊNDIO

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Cadê o Extintor?


Onde foi parar o extintor de incêndio?
Deduzimos que foi enviado para manutenção, porém, a empresa que o recolheu para realização de serviços obrigatoriamente deveria deixar um reserva no local.

Princípio de Incêndio Automotivo


Muitos não confiam na eficiência dos extintores veiculares. 
O caso abaixo mostra o contrário. 
O tempo médio de descarga de cada extintor automotivo 1 kg é de cerca de 8 segundos.
O suficiente para apagar um princípio de incêndio em sua fase inicial.



O motorista retira o extintor do suporte.


Rompe o lacre.


Mesmo com ajuda o extintor não funciona corretamente pois não está com pressão suficiente para expelir todo o agente extintor.


Acabada a pressão do extintor, o auxiliar frustrado, vê alguém vindo em direção para ajudar, enquanto o dono do veículo se desespera com a falha do equipamento. 


Chega um motorista que utilizando um extintor de "verdade" (operacinoal), em poucos segundos consegue debelar as chamas.


Segundo o proprietário, o prejuízo foi apenas a parte elétrica.
Imagine: carro sem seguro e incendiado.
O amigo ficou no lucro.
É necessário inspecionar os extintores com frequência e adquirí-los de empresa com certificação do INMETRO e que credenciada junto ao Corpo de Bombeiros.
 Pesquise.
Há muita empresa funcionando na clandestinidade por aí...

Lembre-se:

- O extintor de incêndio do tipo BC, à base de bicarbonato de sódio tem que ser recarregado a cada 12 meses.

- O extintor de incêndio do tipo ABC, à base de fosfato de monoamônio, é descartável e tem validade de 5 anos.

Nos dois casos é importante a nota fiscal para cobertura da garantia.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Simulador de Uso do Extintor

Simulador Bullex


Este é o simulador de extintor de incêndio da Bullex.
Totalmente digital, O extintor emite raios laser e seu painel apresenta um fogo virtual que, como na realidade, ao apontar o feixe de laser para a base do fogo, ele se extinguirá.
Há a possibilidade também de se usar extintor com carga de água.
Embora seja ecologicamente correto (não polui, não emite fumaça, não há sujeira), para reciclagem em treinamentos até se aceita, mas, para equipes de emergência não recomendo.






Mirar e Atirar


H Sting Wish

Mais um conceito em extintor de incêndio.
Também do tipo mirar e atirar.
Este modelo, que deve produzido em série em breve, possui três opções de agente extintor:

- Gás Carbônico;
- Pó Químico;
- Água.

Um grande problema já visto, seria a utilização errada por crianças e vândalos.

Shooter Fire Extinguisher


Shooter Fire Extinguisher

By Eunjung Kim, Kim e Yangwoo Junyi Heo

Este revolucionário equipamento extintor de incêndio, como se fosse uma arma, atira literalmente contra o fogo.
Cápsulas de CO2 são arremessadas às chamas para combatê-las.
Sem expor o usuário ao calor das chamas, o equipamento possui dispositivo dotado de regulagem de controle de distância.



Uma grande vantagem em relação ao extintor tradicional é o seu peso.
Como é bastante leve, pode ser facilmente transportado sem causar as famosas dores nas costas.


FINE

Extintor de Incêndio Automático - Robô

video

New-PowerPunch119 1EA


New Power Punch 119 1EA

Este é o Bio-friendly,  mini extintor de incêndio em spray, para combater fase inicial.
Mesmo idosos e donas de casa podem facilmente usá-lo.


■ Características do Produto:

① produto Bio-friendly


-Spray extintor de incêndio mini bio-friendly, pode ser levado em bolsas, sem risco de explosão ou estouro, mesmo em altas temperaturas.

② Fácil de usar


- Retire a tampa e pressione o botão em até 7 metros de distância do fogo.


- Fácil de usar tanto por crianças como idosos.

③ forte poder de extinção


- Eficaz em fogo envolvendo óleo e gordura de fritadeiras e lenha.


- Útil também em área externa.


- Eficaz para pulverizar a 360 ° qualquer em ângulo.


- Não causa dano e não dixa resíduos após a extinção do fogo

④ Economia


- Não há necessidade de recarga.

⑤ Durabilidade Contínua


- Pode ser armazenado de forma contínua.


- Pode ser usado, contanto que o agente permaneceu





Guardião

Guardian Home Fire

Designer : Sydney Minnis



Extintor com Cápsula de Oxigênio

Extintor com Cápsula de Oxigênio

Um novo conceito de extintor de incêndio foi criado pelo designer Woo Seok Park. Não é só bonito mas é bem inteligente, ele armazena em seu interior uma espécie de "granada" com pó químico contido em extintores comuns, que podem ser arremessadas no fogo para que o incêndio possa ser debelado  à distância. Processo similar ao Elide Fire e Fire Ball Extinguisher (aquele da bola de 14 cm de diâmetro e com 1.3 kg de pó ABC, também acionado por temperatura http://www.alibaba.com/) Além disso, possui dois pequenos tanques de oxigênio que podem ser utilizados em caso de emergência para se respirar em ambiente tomado pela presença da fumaça.



Difícil agora é ver alguém reclamar que o extintor de incêndio não combina com a decoração de certos ambientes industriais, comerciais ou residenciais.
 

terça-feira, 27 de julho de 2010

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Teste Hidrostático

Aconselha-se que o extintor reprovado em teste hidrostático, seja perfurado antes de ser descartado, evitando assim que seja reaproveitado e lançado novamente no mercado. 


Extintor do "carrinho"...

O "carrinho" tem até extintor de incêndio personalizado...

PINQY

Este é o menor extintor de incêndio do mundo.
É o Pinqy. Possui apenas meio quilo de pó ABC e 14 cm de diâmetro.
 É o pequenino que resolve.
 Fabricado em Luxemburgo na Europa.


video

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Extintor ABC Automotivo Não Será Obrigatório Até Final de 2014




Mais um capítulo dessa extensa novela 
Atualização 17/09/2015


O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) decidiu em reunião nesta quinta-feira (17 Setembro 2015) que o uso do extintor de incêndio em carros, caminhonetes, camionetas e triciclos de cabine fechadas, será opcional, ou seja, a falta do equipamento não mais será considerada infração nem resultará em multa.

Como no caso do kit de primeiros socorros que foi durante um tempo exigido, o extintor f ica  desobrigado, pois "entenderam" que nem todos os condutores possuem habilidade para uso do aparelho. Simples, não?


ABC x BC

Fotos: Jair Amaral/EM/D.A Press


O Povo é Sempre o Último a Saber...

Pedro Cerqueira - Estado de Minas

Departamento Nacional de Trânsito divulga com muito atraso deliberação que suspende obrigatoriedade de portar equipamento mais caro e ônus recai sobre os cidadãos

Mais uma vez o motorista é obrigado a gastar e depois vê tudo cair por terra. Muitos ainda acham que 2009 é o último ano em que será permitido circular pelas ruas em veículos equipados com extintores BC, que deveriam ser gradualmente substituídos pelo modelo ABC, considerado pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) mais eficaz do que o outro. Acontece que, exatamente em 8 de março de 2005, uma ação civil pública de autoria da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ) suspendeu a vigência da Resolução 157/04 do Contran, que amparava a exigência do novo extintor.

Vergonha foi o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) só ter divulgado uma deliberação (n.º 69) oficializando o fato em 4 de julho de 2008, 3 anos e meio depois da Resolução n.º 157 ter sido suspensa. A consequência disso é que poucas pessoas estão sabendo que esses modelos de extintores podem ser usados e, com medo de serem multados, compraram o modelo ABC, que custa mais caro.

Para ter uma ideia, os valores dos extintores considerados no julgamento da ação, que podem ser tomados como o preço médio da época, era de R$ 90 o ABC e R$ 10 o BC (recarga). Hoje o valor do extintor ABC está mais ameno, custa em média R$ 55 e não pode ser recarregado (tendo a seu favor a validade de 5 anos) e a recarga do modelo BC aumentou para R$ 15 em média (tendo validade de apenas 1 ano). Num universo de 12 lojas especializadas em extintores consultadas não foram encontrados modelos BC novos.

De acordo com a decisão do juiz substituto da 27ª Vara Federal, José Carlos Zebulum, a troca dos extintores iria onerar excessivamente os proprietários de veículos automotores sem trazer qualquer benefício para o consumidor. O juiz contesta as vantagens dos extintores ABC frente ao antigo, afirmando que não existem evidências técnicas de que o agente extintor à base de bicarbonato de sódio (BC) seja inadequado para o combate a princípios de incêndio.



Esse foi um dos argumentos usados por Paulo Girão Barroso, advogado da Comissão de Defesa do Consumidor da Alerj, que obteve atestado de vários laboratórios dizendo que o poder de apagar chamas do extintor BC é o mesmo do ABC. Segundo Orlando Moreira da Silva, coordenador de infraestrutura de trânsito do Denatran, a argumentação que está sendo usada pelo órgão no recurso é que o modelo ABC pode ser usado para combater o incêndio em papel, madeira e tecido (materiais usados no interior do veículo), produtos inflamáveis em geral e equipamentos elétricos, enquanto o BC tem a limitação de não ser eficaz em materiais sólidos.
 Sobre as vantagens alegadas a respeito da maior validade do modelo ABC, a decisão do juiz diz que a norma impõe prazo mínimo de validade, mas não garante que o consumidor não será obrigado a adquirir um novo extintor em prazo menor, seja pelo uso do equipamento ou pela data de fabricação (que certamente será anterior à sua compra). Zebulum ainda acrescenta à sentença que em países como a Suécia e Dinamarca, "cujas estatísticas de trânsito são bem melhores que a brasileira", não há a imposição do equipamento, questionando a exigência do uso de extintores veiculares.

Marcelo José Araújo, advogado e professor de direito de trânsito do Centro Universitário Curitiba (UniCuritiba), afirma que não é a primeira vez que o Denatran suspende uma normativa depois de obrigar as pessoas a jogar dinheiro fora. Segundo Araújo, o Contran reage com muito atraso a respeito dos objetos que precisa regulamentar. "Deixam todos comprar faróis de xenônio, GPS, DVD, para depois regulamentar seu uso", diz. Outro fator que contribui para essa disritmia, de acordo com o advogado, é que o Denatran costuma agir por impulso, sem realizar grandes estudos sobre o assunto.

O que dizem as partes?

Contran

. Apesar de ser mais caro, extintor ABC tem validade de cinco anos


. Modelo ABC combate incêndio em papel, madeira e tecido (materiais usados no interior do veículo), produtos inflamáveis em geral e equipamentos elétricos, enquanto o BC não é eficaz em materiais sólidos.

Comissão de defesa do consumidor da ALERJ

. Diversos laboratórios atestaram que o poder de apagar chamas dos extintores BC é o mesmo dos ABC. Impossibilidade de recarga


. Extintor ABC é mais caro e não pode ser recarregado

Juiz

. A medida veiculada na Resolução n.º 157 impõe um ônus aos consumidores sem caracterizar qualquer benefício


. O fato da validade de cinco anos do modelo ABC não garante que o consumidor não será obrigado a adquirir um novo extintor em prazo menor


. Não há qualquer evidência técnica de que o extintor BC seja inadequado para ser usado em casos de princípios de incêndio


. Não se espera que o extintor, manuseado por pessoas sem preparo técnico para combater fogo, seja capaz de debelar incêndios de maiores proporções. Por isso o uso de extintor em veículos tem caráter meramente preventivo. As situações de maior gravidade só poderão ser enfrentadas por pessoas habilitadas


. A realidade demonstra que o uso de extintores em veículos tem se revelado de pouca ou nenhuma utilidade para a população.

 Linha do Tempo

Veja como o Contran demorou a divulgar a suspensão dos efeitos da Resolução n.º 157

 22 de abril de 2004


Contran divulga Resolução nº 157, que fixa especificações para os extintores de incêndio, entre elas a que introduz o uso dos extintores do tipo ABC

8 de março de 2005


Decisão judicial suspende eficácia da Resolução n.º 15
 4 de julho de 2008


Contran publica Deliberação nº 64, que suspende os efeitos da Resolução nº 157

Povo fala

Você sabia que a Resolução n.º 157 estava suspensa desde 2005? O que você pensa sobre estas normas que são lançadas e depois suspensas?

"Não sabia. É uma questão de oportunismo para não sei quem levar vantagem. Igual aquele kit de primeiros socorros. Só falta agora mandarem a gente tirar um diploma de médico" - Antônio Eustáquio Santiago, taxista.

"Não. Pior que eu caí nessa e comprei um extintor novo na época. São tantos absurdos que a gente nem sente mais" - Fernando Flávio, artista plástico.

"Fiquei sabendo. É um jogo de cartas marcadas para beneficiar alguém" - Lúcio Flávio Franco Soares, economista.

"Eu não sabia. Acho que a intenção pode até ser boa, mas os governantes precisam pensar direito antes de agir" - Isabela Queirós, empresária.

"Não. Acho que, pelo menos, essas coisas deveriam ser mais bem divulgadas" - Paulo Bretz, motorista.

"Não fiquei sabendo. É um jeito de fazer a gente gastar dinheiro à toa. Dá a impressão de que tem convênio com alguém para tirar dinheiro da gente, igual àquela taxa de licenciamento, que não serve para nada" - Orlando Lúcio de Melo, motorista.

"Não. Acho que, se possível, as pessoas que gastaram dinheiro com isso deveriam ser reembolsadas" - Raquel Antonini, cantora e atriz.

"Fiquei sabendo porque meu irmão é engenheiro de segurança. Isto é um jeito de tirar alguma vantagem do povo" - Alessandro Meneghini, comerciante.

"Não fiquei sabendo. O governo tem vontade de acertar, mas infelizmente as medidas são ineficazes" - Pedro Esmeraldo, advogado.



Atualização em 05 de Junho de 2014


Extintor ABC Automotivo será Obrigatório

A RESOLUÇÃO nº 333 § 2º A partir de 1º de Janeiro de 2015, os veículos automotores só poderão circular equipados com extintor de incêndio com carga de pó ABC. 

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Fire Ball

Elide Fire e Fire Extinguishing Ball

Da Tailândia Para o Mundo.

Depois das pioneiras Fire Grenade, temos esta enovação, cujo principio básico de funcionamento lembra muito as antigas garrafas de vidro, que eram jogadas ao fogo para extinguí-los.

Essas bolas também são usadas da mesma forma, porém quando lançadas ao fogo, há a detonação, envolvendo todo o material em chamas com o agente extintor, que é o pó químico ABC.

Desenvolvida na Tailândia, essa bola, que é ativada por temperatura, consegue extinguir fogos das Classes A, B e C. Possui 14,5 cm de diâmetro e peso de 1,3 kg de pó químico do tipo ABC. Prática para se usar, é ativada em aproximados 3 segundos, uma vez jogada ao fogo.


As grandes vantagens da "Elida Fire", nome patenteado pela Asia Iras Holdings Sdn Bhd, é seu fácil manuseio, não requerer manutenção e principalmente a segurança. Não há necessidade de grande proximidade com o material em chamas.

Ao ativar (explodir), emite um som com cerca de 130 decibéis, que segundo o fabricante, serve para alertar sobre a ocorrência da emergência.


Antecessor do Extintor

Fire Grenade / Granada de Fogo


                       O antecessor do extintor de incêndio

As granadas de fogo (fire grenade) tiveram sua origem na Inglaterra, no século 18.

Feita através de uma garrafa de vidro fino e frágil, eram jogadas ao fogo para extinguí-los. Numa época em não existiam extintores de incêndio, as granadas eram a solução. De fácil manuseio eram usadas em residências, hotéis, fábricas, escolas, trens e outros edifícios comerciais.

Vários líquidos foram usados e o mais eficaz foi o Tetracloreto de Carbono. Porém descobriu-se que o produto quando inalado, causava sérios problemas respiratórios, sendo substituído por água salgada,

A primeira patente americana de granada de fogo foi concedida a Alanson Crane, por volta de 1870, tornando-se popular nos Estados Unidos. Seu uso deu-se até por volta de 1910, quando as mesmas foram gradualmente substituídas pelos tradicionais extintores de incêndio fabricado em metal que conhecemos.

Muitas granadas foram seladas com uma rolha de cortiça e cimento, evitando que o líquido escapasse. Algumas possuíam um laço no pescoço para serem penduradas. Alguns fabricantes as vendia em uma cesta de arame.

Entre 1900 e 1920 passaram a ter suportes. Alguns funcionavam até automaticamente, quando fixado em local estratégico ao equipamento/material a ser protegido, um suporte com dispostivo de mola e um elo fusível, que com o calor das chamas derreteria, fazendo com que a mola fosse de encontro ao corpo de vidro, quebrando a garrafa, liberando o líquido para combater o fogo. Nessa época eram acondicionadas em caixa de metal, como a Stop Shur Kit, que continha seis granadas.

Harden Extintor Company of Chicago foi um dos mais famosos fabricantes das granadas de mão, com até 1,5 litros de líquido extintor. Sua coloração era azul cobalto.

Outro grande fabricante foi Hayward’s Fire Grenade, em Nova York, com suas garrafas nas cores azul, verde e laranja.

Babcock fabricou a chamada Hand Grenade Babcock, onde o líquido não congelava em baixas temperaturas.

Produtos como bicabornato de sódio e cloreto de amônia e até mesmo areia, também foram usados como agentes extintores.

Muitos foram os fabricantes e entre eles podemos citar Harden, Hayward, Babcock, Harkness, Little Giant, Comet entre outros.

Hoje essas garrafas são encontradas em antiquários e algumas delas chegam a custar U$ 2.000.